Como foi minha viagem ao Chile: Roteiro e Experiências

by - março 21, 2019

Olá amigos,

Hoje vou relatar minha experiência como iniciante, conhecendo pela primeira vez um país no exterior. Afinal, o primeiro carimbo no passaporte a gente nunca esquece, não é verdade?  

A viagem já ocorreu a um certo tempo, mais precisamente no fim de 2017, mas como ainda não tinha acesso ao blog e só resolvi criá-lo depois, vou mostrar a vocês todo o passo a passo e como nos planejamos para que tudo corresse bem.

O Planejamento 


Viajei com a Sra. Holder, eu tinha a vontade de conhecer algum país na América do Sul, pesquisamos bastante e nos agradamos mais pelo Chile e Argentina, creio que essas são as primeiras e melhores opções que vem a cabeça dos brasileiros quando resolvem conhecer um país de fora, tanto pela economia, quanto pela proximidade desses países com o Brasil, além da facilidade de entrada pela imigração, que não exige passaporte ou visto de entrada para países do Mercosul, você pode viajar apenas com seu RG.

Depois de muita pesquisa optamos pelo Chile, mais especificamente Santiago. O próximo passo foi pesquisar as passagens aéreas e escolher as datas, ficamos 9 dias ao todo. Por falar em passagem, na época encontramos uma ótima promoção de ida e volta por R$1000,00 e como moramos numa capital afastada dos grandes centros, considero que foi um ótimo preço. Para quem mora em capitais como São Paulo ou Rio de Janeiro, é possível encontrar melhores preços, dependendo da época do ano. A dica que dou é ficar sempre de olho nos sites de passagens aéreas, sempre surgem boas oportunidades para quem se programa com antecedência.

O próximo passo foi escolher a hospedagem, encontramos boas opções, dentre elas um apartamento no Airbnb no centro de Santiago que estava custando entre 900 e 1000 reais, consegui um código de desconto e no final as 9 diárias saíram por 871,00. Como estávamos em casal, achamos melhor ficar num local mais reservado, mas para quem não tem esse tipo de problema ou está viajando sozinho, existem opções mais viáveis como hostels, vale a pena procurar. 

Fizemos uma boa escolha, apesar do apartamento não ser como vimos nas fotos do anúncio, valeu o custo benefício pago, tanto pela economia como pela localização, o local era próximo de tudo, inclusive de estações de metrô, o que facilitou nosso deslocamento durante toda a viagem. Gosto muito de utilizar o Airbnb nas minhas viagens, pois você consegue algo mais confortável e reservado, por um preço acessível, deixando você mais a vontade, o clima é totalmente diferente de se hospedar em um hotel.

Além disso, troquei um pouco de dinheiro antes da viagem, para cobrir algumas despesas iniciais que viessem aparecer ao chegarmos.

Muito bem, passado toda essa fase inicial, a Sra. Holder preparou um roteiro com minha ajuda, preparamos os passaportes, e embarcamos para nossa primeira aventura fora das terras tupiniquins juntos.

Dia 1


Chegamos por volta de meia noite em Santiago, e logo de cara nos deparamos com algumas vans na saída do aeroporto, que cobram por volta de 8 mil pesos por pessoa para te levar até seu destino. Pegamos a van, que nos deixou na porta do apartamento que alugamos e subimos para descansar, pois já estávamos viajando a mais de 12h, contabilizando tempo de vôo e escalas. 

Dia 2


Nesse primeiro dia de passeio, decidimos ficar pelo centro e conhecer as atrações mais próximas do local de onde estávamos hospedados, trocamos mais dinheiro numa casa de câmbio próxima, e compramos chips para os celulares.

Conhecemos diversos lugares e aprendemos um pouco sobre a história da cidade, belos lugares como o Cerro Santa Lucía, a Plaza de Armas, a Catedral Metropolitana de Santiago e o Museu Nacional de Belas Artes.

Detalhe: Na praça onde se localiza a catedral, tinham pessoas que trabalham em agências de passeios abordando turistas que chegavam. Eles falaram um pouco sobre os passeios para Valparaíso/Viña del Mar, e Cajón del Maipo. Disseram que esse último passeio só poderia ser feito por carros grandes ou com agências, pela dificuldade de acesso na estrada.

De fato a estrada não é das melhores, mas como sou autodidata para essas coisas, prefiro botar a cara a tapa e fazer acontecer.

cerro santa lucía
Cerro Santa Lucía

Dia 3


Pela manhã, acordamos cedo, tomamos café, e resolvemos alugar um carro para fazer os passeios que me referi no dia anterior. Fomos até uma locadora de carros e alugamos um carro básico e popular, contrariando a indicação do guia turístico em fazer o passeio num carro maior. Gosto de fazer os passeios por conta própria, além de ter mais liberdade de horário, ficamos mais a vontade para visitar os locais que escolhemos. A estrada até Cajón del Maipo é rodeada de lindas montanhas que formam a Cordilheira dos Andes, são tantas paisagens lindas que nem vemos o tempo passar, o percurso dura em média 2h. 

embalse el yeso
Embalse el Yeso - Cajón del Maipo

Apesar de termos ido quase no verão e com pouca neve nas montanhas, o local é lindo e vale muito a pena conhecer, a vantagem é que o percurso fica melhor com as estradas limpas.

Seguimos mais a frente para conhecer umas piscinas termais que havíamos pesquisado, chamadas de Baños Colina. Elas ficam no mesmo caminho de Cajón, a uma distância de aproximadamente 1h depois. As piscinas são aquecidas e abertas, é cobrada uma taxa simbólica de entrada, mas que é acessível a todos. Ficamos um tempo e voltamos antes de escurecer, pois a volta era longa e não queríamos esperar a noite chegar, tínhamos chegado até lá graças ao GPS, e dependíamos dele na volta.

Outro detalhe, o local é no meio do nada e não é possível ter acesso a internet. Decorei mais ou menos o caminho, e só fomos conseguir ter acesso aos dados móveis novamente já próximo de Santiago. 

baños colina
Baños Colina

Dia 4


Para aproveitar a última diária do carro, fomos conhecer Val Paraíso e Viña del Mar, a primeira uma cidade portuária localizada a 120 km de Santiago. A primeira impressão é de uma cidade velha, com construções antigas, bem diferente da capital do país que é uma cidade bem mais moderna e desenvolvida.

Mas ao andar um pouco e conhecer mais, notamos todo o charme e história que a cidade carrega, com escadarias e casas coloridas, totalmente fora do padrão das grandes cidades que estamos acostumados a ver por aí. Sem dúvidas, Valparaíso foi um dos meus lugares favoritos em toda viagem.

valparaíso
Valparaíso

Seguimos para Viña del Mar, uma cidade litorânea que se localiza ao lado de Valparaíso, rica em culinária, arquitetura e cultura. Visitamos o Castelo Wulff, o famoso Relógio de Flores e a praia de Reñaca, depois fomos almoçar ficamos mais um tempo conhecendo mais a cidade e voltamos antes do anoitecer.

Dia 5


Decidimos ficar pela cidade e fomos conhecer o Barrio Bellavista, lugar conhecido por seus bares e restaurantes dos mais variados tipos. Se você procura diversão esse é um dos melhores locais de Santiago para se conhecer, lá você toma uma boa cerveja e come algo de qualidade por um preço acessível, além de ter diversas opções de locais para se ir a noite.

Dia 6


Fomos conhecer o Parque Metropolitano de Santiago, onde se localiza o Cerro San Cristóbal e o teleférico. No dia que fomos o teleférico estava em manutenção, então compramos tickets para ir no ônibus que sai a cada 20 minutos da base do parque.

O local fica a aproximadamente 880 metros do nível do mar e dá para ter uma boa vista de toda a cidade.

cerro san cristóbal
Cerro San Cristóbal

Na sequência fomos conhecer o Sky Costanera, prédio mais alto da América do Sul, com 300 metros de altura, que fica interligado ao shopping Costanera. O prédio tem uma mirante de 360º, que fica localizado no 61º andar do edifício.

O ideal é ir no fim da tarde, para acompanhar o pôr do sol da capital iluminando as montanhas dos Andes chilenos.

sky costanera
Sky Costanera

Dia 7


Fomos conhecer a vinícola de Undurraga, afinal, é impossível ir ao Chile e não se encantar por suas vinícolas, todos que gostam de vinho ou até mesmo os que são apenas curiosos devem conhecer ao menos uma dessas vinícolas.

Lá eles demonstram todo o processo de fabricação dos produtos, e contam um pouco da história do negócio, detalhando sua evolução até os dias atuais, vale a pena conferir.

Nesse dia pegamos um ônibus, em um terminal localizado em Santiago, que nos levou até a vinícola e nos deixou na porta do local. Na volta pegamos outro ônibus no mesmo lugar, bem simples e prático. A Undurraga fica um pouco afastada do centro da cidade, mas de carro ou ônibus é possível chegar sem grandes dificuldades. 

Dia 8


Nesse dia tiramos para visitar alguns museus que não tínhamos conhecido e ir a um bom restaurante, já que boa parte das refeições eram feitas na rua ou comprando em algum supermercado para economizar um pouco na viagem. São diversas as opções de lugares para comer, dos mais variados gostos, basta escolher com antecedência e reservar um horário.

Dia 9


Acordamos cedo, tomamos café e preparamos as malas para retornar ao Brasil. Pedi um Uber até o aeroporto e tudo deu certo. Lá os preços são bem similares aos praticados aqui no Brasil, então é mais uma opção para se deslocar na cidade. Porém nosso meio de transporte mais usado foi o metrô, tanto pela economia como pela agilidade de locomoção, existem diversas estações espalhadas pela cidade e é bem simples de comprar os tickets de passagem. 

Conclusão e Impressões da Viagem


A impressão que ficou do país foi muito boa, existem pouquíssimos moradores de rua, e me sentia bastante seguro ao andar pelas ruas nos locais que visitamos. Além disso a infraestrutura das cidades e estradas são bem diferentes daqui, dá pra ver que o governo realmente apoia e investe no turismo do país. A comida não é tão barata, mas tudo vai depender do seu padrão de escolha, é possível encontrar de lugares a preços mais baixos até outros mais requintados.

Pretendo voltar outras vezes futuramente, para conhecer outras regiões como o deserto do Atacama, que fica mais ao norte do Chile, e a Patagônia, região mais fria que se localiza ao sul. Infelizmente, devido ao pouco tempo de viagem não nos programamos para visitar mais locais, além de já ter alugado todas as diárias para uma única hospedagem, o que nos deixou mais fixos em Santiago. 

Gastamos cerca de R$ 2.500,00 a 3.000,00 por pessoa, já contabilizando as passagens, não me recordo do valor exato, mas sei que ficou perto disso. O que mostra que não é preciso ter tanto dinheiro para conhecer outros países ou viajar mais vezes, tudo depende do seu planejamento, capacidade de poupar e usar seu dinheiro para coisas úteis e experiências que irão agregar valor a sua vida.

Enfim, o post ficou meio longo, mas acho que consegui resumir um pouco o passo a passo da minha viagem. Não vejo a hora de fazer a próxima!

Contem aqui suas experiências ao conhecer o Chile e outros lugares pelo mundo.

Abraço, e até a próxima!

You May Also Like

2 comentários

  1. se deu bem
    otimo preço e experiência

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Scant, planejando com antecedência sempre encontramos boas oportunidades.

      Viajar pra mim é um hobby, gostaria de fazer mais, mas enquanto as condições financeiras não melhoram, não posso me dar ao luxo. Então, me planejo para fazer ao menos uma vez ao ano.

      Abs,

      Holder.

      Excluir