Rentabilizando a carteira com a subscrição de fundos imobiliários

by - novembro 04, 2019


O direito a subscrição ainda é um evento pouco conhecido entre os investidores, porém muito comum na bolsa de valores.

Basicamente, quando uma empresa deseja aumentar seu capital, ela emite novas ações ou cotas, e seus investidores podem exercer direito a subscrição e adquirir novas ações desta empresa. Esses investidores que já possuem posição acionária terão preferência na aquisição de novas ações, e poderão exercer direito a subscrição para que sua posição na empresa não seja diluída, devido ao aumento de capital.

Sendo assim, as novas ações ou cotas (no caso dos fundos imobiliários) emitidas, serão oferecidas primeiramente aos acionistas/cotistas que já possuem alguma posição dentro da empresa.

O direito a subscrição é um mecanismo que muitas vezes nos passa despercebido, mas que se for utilizado da maneira correta pode trazer bons lucros para quem está de olho nas oportunidades.

Quem não conhece ou entende nada a respeito deve estar se perguntando qual a vantagem em exercer direito a subscrição. A grande vantagem é que as empresas garantem o preço de compra das novas ações abaixo do valor de mercado, ou seja, quem já é acionista poderá comprar com "desconto" essas novas ações, e manter o percentual de participação que já possui.

Como exercer o direito a subscrição

Cada corretora funciona de maneira diferente, o ideal é que você entre em contato com a sua e tire todas as dúvidas antes de investir. Para fundos imobiliários eu utilizo a Rico, e lá eles dispõem de uma área exclusiva no menu lateral só para Subscrições. A corretora geralmente te envia um e-mail informando que o fundo irá aumentar capital e te dá um prazo para exercer seu direito a subscrição das novas cotas, lembrando que você precisa ter saldo na conta da corretora para que a operação seja efetuada no prazo final.

Citarei o exemplo do HGRE11, que é um fundo de lajes corporativas que possuo em carteira. No dia 26 de agosto de 2019 recebi o comunicado da corretora, com oferta de compra no valor da subscrição em R$144,88. Entrei na plataforma da corretora, exerci a subscrição e depositei o valor referente as cotas que foram disponibilizadas a mim (lembrando que quanto maior for sua posição em determinado fundo, maiores serão a quantidade de cotas oferecidas para compra). Lembro que o valor de mercado na época estava um pouco maior que o valor da subscrição, vejam o gráfico anual e o valor da cota do fundo.


No momento que escrevo este artigo, a cota já custa R$163,27, tendo em vista que participei da subscrição a R$144,88, já são mais de 12% de valorização em cerca de dois meses, sem contar que o valor da cota deu uma caída nos últimos dias e chegou a valer 182 reais em sua última máxima, mas ainda assim me deu um ótimo lucro até o momento. Como minha estratégia não é de fazer trades, prefiro não me desfazer e realizar o lucro das cotas, pelo contrário, aproveito momentos de queda e de oferta de subscrições para acumular cada vez mais cotas.

Agora vejam o caso do VISC11, um outro fundo de shoppings que tenho e que também me foi oferecido participar da sua oferta de subscrição de cotas. Em agosto, a subscrição de cada cota estava em R$108,00. Hoje a cota do VISC já passa de R$135,00 e se caso eu estivesse comprado, já estaria com mais de 25% de lucro nessa operação. 

Muitas pessoas decidem vender as cotas após serem integralizadas (leva alguns dias até o fundo ou empresa alocar o capital e integrar as novas cotas) e embolsar o lucro, mas vai da estratégia e filosofia de cada um, como falei anteriormente, meu objetivo é acumular cada vez mais cotas que me gerem renda passiva no longo prazo.

Caso você não queira participar da aquisição de novas cotas de subscrição, uma outra forma de lucrar é vender o seu direito de compra da subscrição. Nesse caso a venda é feita diretamente no home broker da corretora, ou se preferir você pode entrar em contato com a mesma e pedir que o ativo seja vendido. Por ser negociado abaixo do valor de mercado, o ativo de subscrição é muito procurado, facilitando as operações de compra e venda entre os investidores.

Em último caso, se não houver interesse nenhum por parte do investidor, não é preciso fazer ou informar nada a corretora. Após a data limite para subscrição expirar, as empresas repassam os direitos de compra a outros investidores, são as chamadas sobras de subscrição.

Conclusão

Exercer a compra de novos ativos a partir da oferta de subscrição é uma das melhores maneiras de obter maiores retornos no longo prazo, pois na maioria dos casos o valor é negociado abaixo do valor de mercado, e a tendência após a alocação de recursos por parte dos fundos e empresas, é que a cotação se valorize, como foi mostrado nos fundos do artigo, além de aumentarem também seu Valor Patrimonial (VP). Lembrando que essa não é uma regra, e por se tratar de renda variável podem ocorrer possíveis desvalorizações nas cotas. O ideal é que o investidor estude, diversifique e monte sua carteira com ativos de qualidade, que mostrem resultados recorrentes no longo prazo. A partir do momento em que você seleciona bons ativos para o seu portfólio, irá se beneficiar do crescimento das cotas e geração de renda por dividendos desses ativos.

Tenho preferência e citei os fundos imobiliários, por serem ativos que geram renda mensal e recorrente, porém é possível ver subscrições de ações de empresas presentes na bolsa também, apesar de serem menos frequente. É importante que tenhamos uma reserva de oportunidade alocada em algum ativo com liquidez, para aproveitar estas oportunidades de compra a um preço mais atrativo. Se você é um investidor de longo prazo, pode se beneficiar e acumular patrimônio adquirindo ativos de valor, e se você é um especulador, tem a oportunidade de realizar operações na subscrição de ativos e obter uma boa rentabilidade com a venda desses ativos após a valorização.

Lembrando que as rentabilidades mostradas no caso dos dois fundos foram referentes a um período de mais ou menos dois meses, e está bem acima da média. O que vocês acham sobre o direito de subscrição? Deixem nos comentários se costumam ou não realizar esse tipo de operação, e quais as experiências de vocês.

You May Also Like

4 comentários

  1. gosto de exercer a subscrição e até uso parte da reserva de emergência (que será restituída dias depois) para não perder o prazo
    a parte boa disso tudo é não ter dúvida onde aportar no mês da subscrição

    abs!

    ResponderExcluir
  2. Interessante nao conhecia isso e sempre ignorava os avisos da corretora. Mas ta osso comprar agora tudo nas nuvens. vou esperar corrigir

    ResponderExcluir
  3. Eu confesso que deixo passar alguns por entrar pouco no Homebroker.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. minha corretora e o baster system me mandam e-mail avisando quando tem
      acho que vale a pena verificar se existe essa opção para vc

      Excluir